O que você está procurando?

Como funciona a taxa de administração de consórcios?

28 de outubro de 2021
Blog image

Um dos maiores diferenciais do consórcio é a ausência de cobrança de juros. Ao não indexar uma porcentagem de encargos em suas parcelas, é possível encontrar diversas oportunidades mais acessíveis e fechar um bom negócio para compra de um bem muito desejado por você.

Mas, os consórcios cobram algumas outras taxas relacionadas ao andamento e gestão do grupo em si. A mais importante e que é cobrada por todas as empresas que trabalham com esse tipo de crédito é a taxa de administração.

Quer saber mais sobre a taxa de administração, como ela é calculada e descobrir por que, mesmo com a presença dela, o consórcio ainda continua sendo a melhor opção para o seu bolso e planejamento? Continue a leitura do artigo e tire todas as suas dúvidas!

O que é taxa de administração?

A taxa de administração corresponde a uma porcentagem da parcela do consórcio que é recolhida pela administradora como forma de pagamento por seus serviços. Entre as responsabilidades da instituição financeira responsável pelo crédito está:

criação e manutenção dos grupos de consórcio;

entrega dos bens consorciados;

realização das assembleias;

operação dos sorteios e lances; 

contemplações e entrega das cartas de crédito.

Essa porcentagem relativa a taxa de administração varia de acordo com a empresa responsável, mas fique tranquilo que ela não é cobrada de uma vez só. O pagamento está atrelado a quantidade de parcelas que o consórcio será dividido, o que deixa tudo ainda mais barato.

Como ela é calculada?

As empresas definem uma porcentagem para a taxa de administração seguindo critérios próprios e esse valor fixo é aplicado sobre a carta de crédito do consórcio. Imagine que o seu consórcio é para a compra de um imóvel de R$100 mil, em um prazo de 50 parcelas. A taxa de administração é aplicada no preço do imóvel e dividido entre os meses.

Seguindo o exemplo, se administradora tiver 15% de taxa de administração, ao todo serão pagos R$8.500. Dividindo essa quantia pela quantidade de parcelas, R$170 mensais são para custear os serviços prestados pela administradora do consórcio. Viu como é barato?

Se você ficou curioso para saber quanto da sua prestação está indo para a taxa de administração pegue a calculadora, papel e caneta para realizar o cálculo da seguinte forma:

quantia total do consórcio - porcentagem da taxa / número de parcelas = taxa de administração por parcela

 Assim, você saberá quanto está sendo destinado apenas para manter o seu grupo e consórcio funcionando perfeitamente.

Mas, a taxa de administração é apenas uma pequena parte do cálculo. Além dessa taxa, os consórcios cobram por outros encargos. Todos eles seguem a mesma lógica e, todos os meses, você paga um pouco também por eles.

Quais as outras taxas cobradas no consórcio?

Além da porcentagem de administração, o consórcio também inclui mais alguns outros encargos que são feitos para garantir que o grupo e todos os consorciados possam ser contemplados e, em casos de desistências, não haja problemas para os planos. São elas:

Fundo de reserva

Como o nome diz, o fundo de reserva é para cobrir os custos caso haja algum problema com algum integrante do grupo de consórcio, como uma reserva. Por ser um investimento a longo prazo que depende de outras pessoas, o consórcio pode acabar sendo cancelado e isso afeta diretamente o funcionamento do grupo como um todo.

Para que ninguém seja prejudicado, o fundo de reserva mantém uma quantia de dinheiro para cobrir despesas emergenciais. Após a finalização do grupo e se houver algum valor disponível nesse fundo, o dinheiro é repassado para você ou outros membros de forma proporcional.

Fundo comum

Esse não é bem uma taxa, mas também é responsável por garantir a administração e operação do consórcio. O fundo comum é composto pelo recurso que comprará o seu bem tão desejado. Ele é o caixa do grupo e recebe a maior quantia de dinheiro pago nas prestações.

Seguro

O seguro não é obrigatório, mas é mais uma garantia que você possui para continuar no consórcio. Esse tipo de taxa engloba casos de inadimplência, seguro de vida e desemprego. O valor desse encargo pode variar dependendo do seu consórcio, por isso é ideal consultar o contrato para ter certeza do que está sendo pago.

Taxa de adesão

A taxa de adesão é menos comum, mas pode ser cobrada dependendo da forma que o consórcio foi contratado. Geralmente é atribuída quando a contratação foi realizada por algum representante autônomo.

Por que o consórcio continua sendo uma boa opção mesmo com essas taxas?

Quem procura o consórcio provavelmente já cogitou ou até teve um plano de outro tipo de crédito. Os juros para os créditos pessoais são altos, o que deixa o CET, Custo Efetivo Total, duas ou três vezes maior que o valor solicitado no início do contrato.

Muitos fatores externos influenciam o preço final dos créditos pessoais, como a economia  mundial, impostos associados ao objeto e outras eventuais taxas que são somadas. No consórcio, todas as taxas são cobradas de pouco em pouco, em cada parcela, o que deixa o custo total dessa poupança bem mais baixo.

Além disso, o consórcio não cobra valor de entrada, o que te deixa sem a obrigação de juntar uma boa quantia para validar o negócio. 

Com um valor prefixado que sofre pequenos reajustes, o consórcio com a taxa de administração e os outros encargos consegue ser bem mais barato que outros créditos.

A taxa de administração é apenas uma porcentagem que não afeta diretamente o seu bolso, mantendo o consórcio acessível e barato. Procure uma administradora de confiança que possua uma taxa de administração mais atrativa e concretize seus objetivos de vida com o consórcio.

Gostou do artigo? Confira também nosso artigo sobre grupo de consórcio!

Categorias:

Consórcio

Compartilhe:
Facebook logo

Última notícias

Última notícias